Técnica usada para harmonização dos instrumentos por Ivan Labussiere

Para entender um pouco mais sobre o funcionamento do violino precisamos entender antes o que é um modo simples de vibração.


Modo simples de Vibração, um bom exemplo de um Modo Simples de Vibração é a forma que a tecla de um Xilofone (Instrumento musical de percussão que consiste em uma série de plaquetas retangulares de madeira, apoiadas pêlos pontos nodais sob duas barras de ferro transversal, estas plaquetas emitem som quando são tocadas com baquetas na região antinodal que as fazem vibrar).

 

Ilustração de uma vibração exagerada de uma tecla de xilofone.

Ernst Florens Friedrich Chladni
Figuras Sonoras, Em 1787, Ernst Florens Friedrich Chladni , um dos pioneiros da física acústica, publicou sua "Entdeckungen über die Teorie dês Klanges" (Descobertas sobre a teoria dos sons), ilustrado com 166 "figuras sonoras". Este trabalho foi o resultado de sua pesquisa sobre o comportamento das ondas em superfície's vibratórias. Ele espalhou uma camada de areia sob uma placa de metal e passou um arco de violino na borda desta placa fazendo-a vibrar, Chladni observou que os grãos de areia formavam surpreendentes padrões geométricos fíg. XX. Ele as balizou de "figuras sonoras", Com este estudo foram deduzidas uma série de leis da acústica e desenvolvidos inúmeros conceitos aplicáveis à construção de instrumentos musicais.

A utilidade dos testes padrões de Chladni para o construtor de violino, Harmonização do prato harmônico livre (solto, sem estar colado ao resto do instrumento), é muito importante para as propriedades acústicas finais do instrumento. Os testes de Chladni fornecem um padrão de simetria acústica como gabarito para a harmonização do prato harmônico, este gabarito revela a onde o luthier deve retirar massa (madeira) para tornar as freqüências das modalidades simétricas no Prato Harmônico Livre, sendo que a simetria das freqüências das modalidades dos pratos harmonicos livres esta empiricamente relacionada à qualidade final do instrumento, o uso desta técnica da ao construtor a possibilidade de maximizar a ressonância final da caixa acústica, os valores
como: amplitude sonora, equilíbrio entre as oitavas (Hz), facilidade na articulação (trenatos e dedilhados rápidos, mudanças de oitavas), podem ser melhorados com o uso desta técnica.

Modo de Vibração para Prato Harmônico de violino, O prato de violino tem muitos modos de vibrações, e em geral cada um acontece a uma freqüência diferente. Por experiência adquirida atraves de estudos específicos com mais de duzentos instrumentos a Doutora Carleen M. Hutchins e outros mestres chegaram a uma conclusão pratica de que o uso dos três modos produz bons instrumentos estes são os mais usados atualmente pêlos construtores de violino no processo de harmonização dos pratos harmônicos de violino.

Abaixo um exemplo de correção das 3 modalidades vibracionais de um tampo de violino, trabalho em progresso. Clique aqui para assistir um filme da aferição do Modol 5.

Dra. Carleen M. Hutchins

 

Em 1970 a Doutora Carleen M. Hutchins, Hutchins utilizava interferometria (A interferometria laser ó uma técnica da medição de precisão cada vez mais usada na engenharia) e holografia (técnica que produz imagens tridimensionais) para investigar as modalidades vibracionais do prato harmônico de um violino, como o lazer não é encontrado em um atelier de liuteria a Doutora Carleen M. Hutchins inventou um método mais simples, o método consiste em usar um gerador de áudio que possa gerar uma onda seno ser controlada manualmente de 20 Hz a 1000 Hz, este é ligado a um alto- falante amplificado com capacidade de 15 a 20 Watts RMS fíg. 200, o prato harmônico fica apoiado (o apoio é feito normalmente na extremidade dos ponto nodais) sob quatro pedaços de espuma de l a 2 centímetros distantes do alto-falante, o gerador de ondas gera uma onda seno numa freqüência especifica que ressoa com o prato harmônico fazendo-o vibrar, é jogado então partículas de pó (chá, giliter, areia fina, etc...) sob o prato harmônico que tendem saltar e ir para os pontos estacionários (nodais).

O som é uma compressão mecânica ou onda longitudinal que se propaga através de forma circuncêntrica, em meios que tenham massa e elasticidade como os sólido, líquido ou gasoso, ou seja, não se propaga no vácuo. Os sons naturais são, na sua maior parte, combinações de sinais, mas um som puro possui uma velocidade de oscilação ou frequência que se mede em hertz (Hz) e uma amplitude ou energia que se mede em décibeis. Os sons audíveis pelo ouvido humano têm uma frequência entre 20 Hz e 20 kHz. Acima e abaixo desta faixa são ultra-som e infra-som, respectivamente.

Seres humanos e vários animais percebem sons com o sentido da audição, com seus dois ouvidos, que permite saber a distância e posição da fonte sonora, a chamada audição estereofônica. Muitos sons de baixa freqüência também podem ser sentidos por outras partes do corpo e pesquisas revelam que elefantes se comunicam através de infra-sons.

Os sons são usados de várias maneiras, muito especialmente para comunicação através da fala ou, por exemplo, música. A percepção do som também pode ser usada para adquirir informações sobre ambiente em propriedades como características espaciais (forma, topografia) e presença de outros animais ou objetos. Por exemplo, morcegos, baleias e golfinhos usam a ecolocalização para voar e nadar por entre obstáculos e caçar suas presas. Navios e submarinos usam o sonar, seres humanos recebem e usam informações espaciais percebidas em sons.

 

Entenda as ondas do som e as principais fórmulas.

 Página em English

Como um violino trabalha?

Joe Wolfe

 

Atelier Labussiere


Tel/Fax 11 2675-9904

Fonte de informação http://pt.wikipedia.org/wiki/Som